_7006195.jpg

Tarcísio Santório, diretor geral

Administrador, Marketeiro e Contabilista, 36 anos, capixaba, organizador, projetista e produtor (com participação em importantes projetos). Inteirado com as mudanças do mercado e a valorização da cultura. Tarcísio Santório além de organizar e colocar em prática sonhos de pessoas, se revela um projetista cultural sensível e dinâmico, com pleno domínio dos seus recursos produzindo projetos criativos, com alta valorização social e ao mesmo tempo cultural. Traz na bagagem eventos realizados para empresas com credibilidade no mercado nacional e internacional: Associação dos Magistrados do Brasil, Associação dos Magistrados do Espírito Santo, Petrobras, SEBRAE, OI, Shell, Federação Unimed, CRC-ES, Polícia Civil, Empreendedor e colaborador do programa Cultura em Rede da Vale, entre outros a ação cultural “Festival de Música Erudita do Espírito Santo”. Um trabalho moderno e um forte potencial criativo e organizacional com uma equipe qualificada. Hoje além de Produção Musical e Membro do Conselho Estadual de Cultura (Câmara de Artes Musicais) assume o cargo de Presidente da Companhia de Ópera do Espírito Santo e com este cargo já realizou tais óperas: Suor Angelica e Madama Butterfly, de Puccini, Pagliacci, de Leoncavallo,  Così Fan Tutte, de Mozart, The Medium, The Telephone e Amélia al Ballo, de Menotti, Il Combattimento di Tancredi e Clorinda, Pergolesi, O Barbeiro de Sevilha, Rossini, Dido e Enéias, Purcell, I Capuleti e i Montecchi, Bellini. Em 2015 lançou, em parceria com a arquivista Leila Valle, o Livro: Inventário do Acervo da Companhia de Ópera do Espírito Santo - As óperas encenadas no Espírito Santo. 

 

Natércia Lopes, diretora artística

Cantora lírica capixaba de maior expressão, Natércia é conhecida por seus inúmeros sucessos em óperas, operetas, recitais e concertos sinfônicos. Graduou-se em História pela UFES. Nos anos 70 bacharelou-se em Canto pela EMES. Aperfeiçoou-se no Conservatório Brasileiro de Música do RJ, em 1980. Na Itália, aprimorou sua técnica vocal, com aulas no Teatro Alla Scala, em Milão, com os renomados maestros: Romano Gandolfi, Carlo Camerini e Otello Borgonovo e em Siena, na Accademia Chigiana, com o prestigiado maestro, Giorgio Favaretto. Na ocasião, excursionou por diversas cidades italianas com sua voz, e apresentou-se em palcos da Polônia, França e Portugal. Artista atuante nos principais teatros brasileiros: Theatro Municipal de São Paulo, Sala Cecília Meireles, Palácio das Artes, Teatro Guaíra, entre outros, consolidando sua carreira nas décadas de 80 e 90. Foi coordenadora de música da UFES e por duas vezes diretora da FAMES implementando esforços junto a outros mestres da Música para o desenvolvimento e aperfeiçoamento da formação de músicos neste estado, gestões marcadas pelo seu dinamismo ímpar e um amplo diálogo com os corpos docente e discente destas instituições. Em 1984, Natércia debutou a ópera Dido e Enéias, sob batuta do  maestro inglês Harry Light, no TMSP.  A Diva atuou ainda como Madame Glavary, na famosa opereta A Viúva Alegre, montagem realizada no Theatro Carlos Gomes, com a participação da OSES, sob a regência do Maestro Sérgio Magnani e Helder Trefzger. Marcantes são ainda suas participações no Stabat Mater de Rossini e nas Galas Líricas realizadas junto a OSES. Em 2013 recebeu da COES uma homenagem por suas relevantes contribuições à Ópera no Espírito Santo, assumindo em 2014 a direção artística do Festival de Música Erudita do Espírito Santo.